AMVC - Arquitectos e Associados

 

Habitação Colectiva

Situação urbana
O local situa-se no acesso norte a Viseu (EN16) que será alvo de intervenção viária a breve trecho, pelo que, também, se impõe uma renovação urbana ao nível do tecido construído tendo em conta a preponderância deste eixo viário como acesso principal à cidade.

Conceito de intervenção | programa
O edifício insere-se numa banda contínua e pretende-se que seja o primeiro, de um conjunto de três, a ser construído.
A linguagem arquitectónica marcadamente horizontal é acentuada pelas varandas contínuas, linhas de laje e sombreamento da fachada. Esta leitura será repetida nos restantes edifícios, de modo que a diferença de cotas topográficas existente seja diluída ao nível do rés-do-chão e permita uma leitura contínua das linhas de laje. Não haverá, portanto, quebras entre edifícios, mantendo uma linguagem linear.
Ao nível da volumetria, será quebrada pelos volumes na cobertura, afectos ao sótão, que deliberadamente desmarcados dos planos de fachada assumem-se como um segundo plano de sombra a rematar a cobertura. Estes serão os elementos a marcar a descontinuidade no conjunto.
Em termos tipológicos temos no rés-do-chão, comércio e acessos à cave; no piso 1, escritórios e no piso 2, dois apartamentos, com tipologias T3.